Brexit descontrolado atira dívida pública para máximos da década de 60

Medidas compensatórias que Governo britânico terá de implementar vão disparar endividamento.

Boris Johnson foi avisado: as reduções de emergência de impostos e o aumento do endividamento público para compensar o impacto de um Brexit sem acordo vai levar a dívida pública ao nível mais alto em mais de meio século.

A advertência vem do Instituto de Estudos Fiscais (IFS) britânico, citado pelo ‘The Guardian’, que afirma que o impacto da resposta do governo necessária para a estabilidade económica do país – caso a saída da UE seja abrupta – terá um preço elevado na carteira pública.

O think tank afirma ainda que os empréstimos do governo devem já duplicar no próximo ano, independentemente do resultado das negociações com Bruxelas.

Além disso, a dívida pública deverá alcançar quase 90% do PIB se o Reino Unido sair da UE sem acordo, representando o nível mais alto desde meados de 1960.

«Podemos estar numa espiral ascendente de dívida e défice – e num mundo em que temos que passar por outro período de austeridade para desfazê-la», afirmou Paul Johnson, director do IFS.

Notícias relacionadas
Comentários
Loading...

Multipublicações

Marketeer
Sporting CP: partilhar é o maior presente de todos
Automonitor
Renault lamenta morte do pai dos Dacia Kwid, Sandero e Logan