Colapso histórico das plataformas ativas de petróleo e gás nos EUA dá ‘asas’ ao preço do petróleo bruto

O preço do petróleo marca a expansão ou contração da produção de petróleo, afetando, por sua vez, o próprio preço, gerando os diferentes ciclos desse mercado.

Após um colapso sem precedentes, as empresas americanas (principais produtoras mundiais de petróleo) interromperam os seus investimentos, refletindo-se no colapso histórico das plataformas ativas de petróleo e gás, que caíram para níveis mínimos. Um declínio nessas plataformas de exploração e perfuração tende a antecipar novos aumentos nos preços do petróleo.

“As mudanças no número de plataformas de petróleo historicamente geraram mudanças nos preços do petróleo com um atraso de aproximadamente quatro meses. No entanto, o atual declínio nas plataformas foi muito mais rápido do que no passado”, segundo avança a EIA – ‘U.S Energy Information Administration’.

Depois de cair para preços negativos, o petróleo de referência nos EUA, está a ser negociado acima dos 30 dólares por barril. Por sua vez, o Brent, uma referência na Europa, permanece acima de 35 dólares depois de perder 20 dólares por barril.

A recente tempestade sobre o petróleo afundou o número de plataformas ativas nos EUA “, portanto é provável que os preços do petróleo continuem recebendo um bom apoio do lado da oferta”, explicam os analistas do Commerzbank. Agora resta ver o que acontece com a procura.

Segundo Baker Hughes , que publica dados sobre as atividades de exploração norte-americanas desde 1944, a contagem de plataformas de petróleo dos EUA caiu na semana passada de 21 para 237, seu nível mais baixo desde o verão de 2009 .

O número total de plataformas ativas (isto é, incluindo o gás natural) caiu para novos mínimos históricos com 318. Enquanto isso, o número equivalente no Canadá caiu para apenas 21, marcando também uma nova baixa histórica e uma queda. maciço desde fevereiro.

Importa reter que essas plataformas ativas são dados altamente relevantes sobre a produção futura, mas não sobre a produção atual, que é determinada pelos poços de petróleo que estão em operação. As plataformas indicam a quantidade de máquinas que estão a ser exploradas e a perfurar para extrair petróleo. Depois de o petróleo começar a ser extraído, a plataforma deixa de estar ativa até encontrar outra área para perfurar.

“As mudanças no número de plataformas de petróleo historicamente geraram mudanças nos preços do petróleo com um atraso de aproximadamente quatro meses . No entanto, a atual queda nas plataformas foi muito mais rápida do que no passado”, reforça a agência de Energia dos EUA.

Ler Mais
Notícias relacionadas
Comentários
Loading...

Multipublicações

Marketeer
Eventos digitais: tendências, vantagens e preocupações
Automonitor
Covid-19: SEAT doa 100 mil euros para projeto #YoMeCorono