Covid-19. Cotadas têm de divulgar impacto da pandemia já nas contas de 2019

Estas recomendações gerais da CMVM têm por base a pandemia da Covid-19 que está a afetar significativamente a economia mundial e que já tem efeitos nas empresas portuguesas.

As empresas portuguesas cotadas em bolsa devem incluir já nos relatórios e contas de 2019 (os que estão ainda por fechar) informações sobre o impacto da Covid-19.

A Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM) recomenda, num conjunto de divulgadas esta sexta-feira, que as empresas emitentes devem “divulgar logo que possível toda a informação relevante sobre os impactos da Covid-19 no seu negócio, situação financeira e desempenho económico”.

O regulador detalha ainda que os relatórios financeiros – em particular, o relatório financeiro anual de 2019, “devem também refletir impactos tanto atuais, como potenciais, apurados, na medida possível, tendo por base uma avaliação quantitativa e qualitativa”.

A CMVM reforça junto dos revisores oficiais de contas que têm o “dever de proceder a uma avaliação sobre a continuidade do negócio da entidade auditada, bem como identificar as suas perspetivas económicas e os impactos diretos da propagação do Covid-19 no exercício da sua atividade”. Ou seja, esse aspeto tem de constar já nas perspetivas das contas.

As empresas, conclui a CMVM, devem ainda monitorizar os planos de continuidade de negócio (antevendo como manter a operação) e devem notificar se estão ativados.

Notícias relacionadas
Comentários
Loading...

Multipublicações

Marketeer
Há uma nova forma de comprar a Marketeer online
Automonitor
VLV: O primeiro Peugeot elétrico que se estreou em… 1941