Covid-19 mina OPA da Xerox à HP. Abandonada oferta de 35 mil milhões

É também um golpe para o investidor bilionário Carl Icahn, que possui grandes participações em ambas as empresas e muito pressionou para esta fusão acontecer.

A decisão da Xerox, norte-americana especialista em equipamento de escritório de desistir da OPA hostil à HP,  veio depois que a empresa ter anunciado no início deste mês que adiaria as reuniões com os acionistas da HP para se concentrar no combate à pandemia do coronavírus.

A Xerox estava pronta para desafiar o conselho da HP na assembleia anual de acionistas em maio, mas agora abandonará esse esforço e a sua oferta de compra de ações da HP, informou a empresa em comunicado.

“Embora seja decepcionante dar este passo, estamos a priorizar a saúde, a segurança e o bem-estar dos nossos funcionários, clientes, parceiros, nesta nossa resposta o mais mais ampla possível à pandemia”, reforçou a Xerox.

Este recuar traduz-se numa vitória para o CEO da HP, Enrique Lores, que enfrentou uma dura batalha de aquisição logo que assumiu as rédeas da empresa com sede em Palo Alto, Califórnia, em novembro passado. Tratando-se por isso de uma derrota para o CEO da Xerox John Visentin, ex-Hewlett-Packard e Executivo da IBM, ligado ao setor ‘private equity’ que assumiu este cargo em 2018.

Os analistas sublinham que é também um golpe para o investidor bilionário Carl Icahn, que possui grandes participações em ambas as empresas e muito pressionou para esta fusão acontecer.

Segundo detalhou a Xerox, esta operação envolvia benefícios financeiros e estratégicos de longo prazo. Embora seja possível que as empresas se decidam pela fusão após a crise de coronavírus, a decisão da Xerox significa que não terá outra oportunidade de pressionar a HP até a próxima reunião anual de acionistas na primavera de 2021.

Os bancos que financiam a oferta pública de aquisição (OPA) da Xerox “nunca hesitaram nos seus compromissos”, apesar da turbulência do mercado causada pelo surto de coronavírus, informou a Norwalk, Connecticut.

Tanto a Xerox como a HP estão a sofrer um forte impacto nos seus negócios com a pandemia, embora as ações da HP se tenham mostrado mais resistentes, refletindo o teletrabalho das suas equipas . As ações da Xerox perderam mais da metade de seu valor nas últimas cinco semanas, enquanto as ações da HP caíram cerca de um quarto.

 

Ler Mais
Notícias relacionadas
Comentários
Loading...

Multipublicações

Marketeer
Eventos digitais: tendências, vantagens e preocupações
Automonitor
Covid-19: SEAT doa 100 mil euros para projeto #YoMeCorono