Crédito malparado reduz para 8,6 mil milhões de euros em 2019

No que diz respeito à capacidade dos bancos em reduzir a sua exposição a estes empréstimos, destaca-se a redução de 32,6 mil milhões de euros no montante do malparado conseguida nos últimos cinco anos.

Os bancos portugueses conseguiram baixar em 8,6 mil milhões de euros o montante do malparado em 2019, sendo que mais de metade da redução só foi conseguida no último trimestre do ano, segundo os dados do Banco de Portugal, divulgados esta quinta-feira.

Neste último trimestre, com o mal parado a representar 7,7% do crédito total a redução foi de 4,5 mil milhões de euros, com o rácio de empréstimos non-performing (NPL) a fixar-se nos 6,1% no final do ano passado.

A queda no crédito malparado de empresas não financeiras foi de 3,7 mil milhões de euros para 12,3% e de 400 milhões de euros no caso dos particulares para 3,7%.

Ainda sobre este período, os números do regulador mostram que os bancos registaram uma quebra em termos absolutos na ordem dos 20,9% face ao bolo total do malparado no final de setembro, sendo que ainda têm 17,2 mil milhões de euros neste tipo de empréstimos nos seus balanços.

No que diz respeito à capacidade dos bancos em reduzir a sua exposição a estes empréstimos, destaca-se a redução de 32,6 mil milhões de euros no montante do malparado conseguida nos últimos cinco anos,  o que se traduz numa redução de quase um terço o rácio dos empréstimos non-performing.

 

 

Ler Mais
Notícias relacionadas
Comentários
Loading...

Multipublicações

Marketeer
8 factos que poderá não saber sobre a Swarovski: do negócio familiar aos filmes
Automonitor
VLV: O primeiro Peugeot elétrico que se estreou em… 1941