Economistas descrentes quanto à recuperação sincronizada da economia global

Seis meses bastaram para economistas mudarem de opinião quanto ao rumo do crescimento da economia.

Um declínio mais acentuado do crescimento económico global é mais provável do que uma recuperação sincronizada, mesmo com estímulos monetários introduzidos por vários bancos centrais.

Esta conclusão resulta de uma poll de economistas ouvidos pela agência ‘Reuters’ nas últimas semanas.

Embora o abrandamento das tensões comerciais entre os EUA e a China tenha levado as acções para próximo de máximos, um recorde de 17 biliões de dólares de obrigações mantêm as yields negativas e a possibilidade de uma recessão nos EUA ainda está no horizonte, acrescenta a agência.

De acordo com uma nota do economista chefe do HSBM, há mais bancos centrais em todo o mundo, liderados pela FED e pelo BCE, a cortar as taxas de juro. Os estímulos fiscais também são iminentes, mas as curvas de yields ainda parecem sinalizar uma recessão.

Se há seis meses a poll de economistas estava dividida quanto ao rumo da economia global, neste último inquérito 71% dos 177 economistas ouvidos acredita que o aprofundar do abrandamento económico global é inevitável.

Notícias relacionadas
Comentários
Loading...

Multipublicações

Marketeer
Sporting CP: partilhar é o maior presente de todos
Automonitor
Renault lamenta morte do pai dos Dacia Kwid, Sandero e Logan