Estas são as 20 razões que sentenciam as startups à pena de morte

São muitas as razões que levam as startups a encerrar portas. Conheça as 20 principais encontradas pela CB Insights.

Existem centenas de factores que podem pôr em causa a sobrevivência das startups, muitas vezes sem que os empreendedores se consigam aperceber dos riscos e avisos.

Desde a irrelevância do produto ou serviço até desarmonias dentro da própria empresa, a consultora CB Insight descobriu, através da análise a 101 startups que desapareceram do mercado, as 20 principais razões para que o falhanço seja inevitável.

Conheça, uma a uma, as causas transversais a muitas startups para uma morte anunciada e as lições que pode aprender com quem sentiu o falhanço na pele:

 

#20 Falhar na mudança

Não mudar ou desistir com a rapidez suficiente de um mau produto, uma má contratação ou uma má decisão foi citado como o motivo para o falhanço em 7% dos post mortems analisados pela CB Insights. Viver ou ficar atado a uma má ideia pode minar recursos e dinheiro, além de deixar os colaboradores frustrados com a falta de progresso.

 

#19 Burnout

O equilíbrio entre vida profissional e pessoal não é algo que os fundadores de startups costumem obter e, portanto, o risco de burnout é elevado. O esgotamento foi apresentado como motivo do falhanço 8% do tempo. A capacidade de reduzir as perdas sempre que é necessário e redireccionar os esforços quando está num beco sem saída foram considerados importantes para ter sucesso e evitar o esgotamento, assim como ter uma equipa sólida e diversificada e orientada para que as responsabilidades possam ser partilhadas.

#18 Não usar rede

Ouvimos muitas vezes os empreendedores lamentarem-se da falta de uma rede de contactos ou ligações a investidores, por isso foi surpreendente verificar que uma das razões apontadas pelos empreendedores para o falhanço foi a utilização incorrecta das suas próprias redes de contactos.


#17 Desafios legais

Por vezes uma startup pode evoluir a partir de uma simples ideia para um mundo de complexidades legais que se podem tornar a causa do encerramento da startup.


#16 Falta de financiamento/interesse dos investidores

Associado ao motivo mais comum de ficar sem dinheiro, vários fundadores de startups mencionaram explicitamente a falta de interesse do investidor, tanto no estágio embrionário como no inicial ou no total.


#15 Expansão geográfica falhada

A localização foi um problema em várias vertentes. O primeiro foi a de que deve haver congruência entre o conceito e a localização da startup. A localização também desempenhou um papel na falha das equipas remotas. Se a sua equipa estiver a trabalhar remotamente, certifique-se que encontra métodos de comunicação eficazes, caso contrário, a falta de planeamento e de trabalho em equipa poderá levar a falhas.


#14 Falta de paixão

Há ideias muito boas no mundo, mas 9% dos fundadores de startups que desapareceram descobriram que a falta de paixão por um domínio e o desconhecimento de um domínio eram as principais razões para o fracasso, por muito boa que seja uma ideia.


#13 Mudança mal feita

Mudanças como o Burbn para Instagram ou a ThePoint para Groupon podem correr extraordinariamente bem. Ou podem levá-lo para o caminho errado.


#12 Desarmonia entre a equipa / investidores

A discórdia com um co-fundador foi um problema fatal para as empresas post-mortem. Mas o problema não se limita à equipa fundadora e, quando as coisas correm mal com um investidor, podem ficar feias muito rapidamente.


#11 Perder o foco

Ser desviado por projectos que distraem, problemas pessoais e / ou perda geral de foco foi mencionado em 13% dos casos como factor para o fracasso.


#10 Produto mal calculado

Se um produto for lançado demasiado cedo, os utilizadores poderão considerá-lo insuficiente e poderá ser difícil recuperá-los se a primeira impressão sobre a empresa for negativa. Se o produto for lançado tarde demais, poderá ter perdido a sua janela de oportunidade no mercado.

#9 Ignorar os clientes

Ignorar os utilizadores ou clientes é uma forma experimentada e verdadeira de falhar. A visão em túnel e não recolher a opinião dos utilizadores são falhas fatais para a maioria das startups.


#8 Marketing fraco

Conhecer o público-alvo, saber como chamar a sua atenção e convertê-los em clientes é uma das capacidades mais importantes de um negócio de sucesso. Mas a incapacidade de fazer marketing foi um fracasso comum, especialmente entre os fundadores que gostavam de codificar ou criar produtos, mas que não apreciavam da ideia de promover o produto.


#7 Produto sem modelo de negócio

Os fundadores que falharam parecem concordar que um modelo de negócio é importante – permanecer ligado a um único canal ou não encontrar formas de ganhar bastante dinheiro deixou os investidores hesitantes e os fundadores incapazes de capitalizar com qualquer tracção conquistada.


#6 Produto pouco amigo do utilizador

Coisas más acontecem quando ignora aquilo que um utilizador quer e precisa, quer de forma consciente ou acidentalmente.


#5 Questões de preço / custo

A atribuição de preços é uma arte sombria no que se refere ao sucesso das startups e as post mortem destacam a dificuldade em atribuir um preço suficientemente alto a um produto de forma a cobrir os custos e baixo o suficiente para atrair clientes.


#4 Ser ultrapassado

Apesar das premissas de que as startups não devem prestar atenção à concorrência, a realidade é que, uma vez que uma ideia está desenvolvida ou obtém validação de mercado, pode haver muitos participantes no mesmo espaço. E embora a obsessão pela concorrência não seja saudável, ignorá-la também foi uma receita para o fracasso em 19% das falhas das startups.


#3 Equipa errada

Uma equipa diversificada com diferentes conjuntos de capacidades foi frequentemente citada como sendo crítica para o sucesso de uma empresa. Os fracassos post-mortem lamentaram-se frequentemente de que gostariam de ter um CTO desde o início ou desejavam que a startup tivesse um fundador que adorasse o aspecto comercial das coisas.

 

#2 Ficar sem dinheiro

O tempo e o dinheiro são finitos e precisam de ser alocados criteriosamente. A questão de como se deve gastar o dinheiro foi frequentemente um enigma e um motivo de falha citado pelas startups (29%).


#1 O mercado não precisa

Enfrentar problemas que são interessantes de resolver e não aqueles que representam uma necessidade de mercado foi indicado como principal motivo de falha por 42% das startups post-mortem.

 

Fonte: CB Insights

Ler Mais
Notícias relacionadas
Comentários
Loading...

Multipublicações

Marketeer
Volvo vai lançar um carro eléctrico por ano
Automonitor
Já viu o novo ultracompacto 100% elétrico da Toyota?