EUA retiram China da lista dos manipuladores de moeda

A designação foi retirada na passada segunda-feira, dois dias antes da assinatura da primeira fase do acordo comercial entre os dois países.

Os Estados Unidos retiraram, na passada segunda-feira, a designação de «manipulador de moeda», relativamente ao país chinês.

Esta medida pode estar relacionada com a assinatura do acordo comercial entre os EUA e a China, uma vez que a retirada da designação aconteceu dois dias antes da assinatura.

Num comunicado emitido por Steven T. Munuchin e citado pelo elEconomista, o Secretário do Tesouro dos EUA afirma que «A China assumiu compromissos de abster-se da desvalorização competitiva, promovendo simultaneamente transparência e responsabilidade.»

O Secretário acrescentou ainda que o tesouro ajudou a «garantir um acordo significativo da primeira fase com a China, que levará a um maior crescimento económico e oportunidades para trabalhadores e empresas americanos».

Foi em agosto do ano passado que o Governo dos Estados Unidos anunciou a decisão de passar a designar a China como «manipuladora de moeda», consequência do Banco Popular da China ter reduzido o yuan para valores mínimos de 2008 em comparação com o dólar.

O acordo comercial assinado entre Washington e Pequim inclui o compromisso chinês de adquirir  produtos agrícolas americanos entre os 35.955 e os 44.943 milhões de euros, aumentando o total de compras para os Estados Unidos de todas as categorias de produtos, em cerca de 179.756 milhões de euros, em dois anos.

Ler Mais
Notícias relacionadas
Comentários
Loading...

Multipublicações

Marketeer
Sporting CP: partilhar é o maior presente de todos
Automonitor
Usados Renault Trucks em campanha