EUA sofrem mais do que UE com escalada da guerra comercial

Conflito deverá intensificar-se em Janeiro com retaliação da UE às novas taxas punitivas impostas pelos EUA a bens europeus.

O início da guerra comercial entre os EUA e a Europa pode deitar muito mais a perder para os EUA e para o crescimento económico global do que a iniciada há quase ano e meio entre os EUA e a China.

De acordo com dados do comércio norte-americano, consultados pela ‘CNBC’, as importações de bens europeus pelos EUA totalizaram 683,9 mil milhões de euros, enquanto os produtos provenientes da China chegaram aos 557,9 mil milhões. Por outro lado, as exportações de artigos dos EUA para o bloco europeu chegaram aos 574,5 mil milhões de dólares, um valor muito superior aos 179,2 mil milhões para a China.

E a guerra comercial entre os EUA e a Europa está longe de terminar, depois de esta sexta-feira terem entrado em vigor as tarifas punitivas de 25% importas pelos EUA numa centena de produtos do bloco, com o aval da Organização Mundial do Comércio. O motivo prende-se com os subsídios ilegais que a UE atribuiu à fabricante aeronáutica Airbus.

A retaliação europeia deverá chegar em Janeiro, também com o parecer positivo da OMC, devido aos subsídios ilegais que os EUA concederam à Boeing.

Já em Novembro, há outra decisão importante a ser tomada pelos EUA que pode endurecer o conflito com a Europa: taxas suplementares em automóveis europeus, uma das indústrias mais importantes do bloco.

De acordo com um analista ouvido pela ‘CNBC’, «o comércio entre a UE-EUA tem mais importância. É, de longe, o maior fluxo comercial bilateral único do mundo».

Ler Mais
Notícias relacionadas
Comentários
Loading...

Multipublicações

Marketeer
Sporting CP: partilhar é o maior presente de todos
Automonitor
Renault lamenta morte do pai dos Dacia Kwid, Sandero e Logan