Índice de confiança na economia nacional do ISEG indica forte queda de 26%

Em termos homólogos, a variação do índice revela uma queda de 26%, detalha o ISEG.

Em março de 2020, na sequência do surto da epidemia da covid-19, o índice de confiança do ISEG, relativo à evolução da atividade económica portuguesa no curto prazo, assumiu o valor de 25,6, traduzindo uma quebra abrupta na ordem dos 8,8 pontos percentuais, quando comparado com o valor alcançado no mês anterior, de acordo com a análise do Instituto, revelada esta quarta-feira.

Este valor, detalha o ISEG –  Instituto Superior de Economia e Gestão da Universidade de Lisboa, em comunicado, “corresponde a uma acentuadíssima descida da confiança relativamente ao mês anterior, em que o valor do índice foi de 34,4”.

Em termos homólogos, a variação do índice revela uma queda de 26%.

O índice de confiança do ISEG sobre a evolução a curto prazo da economia portuguesa, cujo valor pode variar entre 0 (confiança mínima) e 100 (confiança máxima) é atribuído por um painel de dezasseis professores do ISEG com base em informação quantitativa e qualitativa previamente recolhida e que inclui os apuramentos de um inquérito realizado mensalmente a todos os docentes do ISEG.

O valor do índice é obtido por média simples dos valores entre 0 e 100 atribuídos respetivamente por cada um dos membros do Painel.

Notícias relacionadas
Comentários
Loading...

Multipublicações

Marketeer
Eventos digitais: tendências, vantagens e preocupações
Automonitor
Covid-19: SEAT doa 100 mil euros para projeto #YoMeCorono