Irão aprofunda crise sem barril de crude acima dos 190 dólares

Sanções impostas pelos EUA vão aprofundar ainda mais crise económica iraniana.

O Irão precisa que o barril de crude alcance os 194,6 dólares no próximo ano para equilibrar o seu orçamento em 2020, de acordo com um documento divulgado pelo Fundo Monetário Internacional, citado pela agência Reuters.

O défice orçamental do país – que integra a Organização dos Países Exportadores de Petróleo – deverá alcançar os 4,5% este ano e os 5,1% no próximo, devido à intensificação das sanções por parte dos EUA.

As receitas petrolíferas iranianas cresceram depois de, em 2015, ter firmado um acordo com seis grandes potenciais mundiais para reduzir substancialmente o enriquecimento de urânio, o que cessou as sanções impostas três anos antes devido ao seu programa nuclear. Mas os EUA reforçaram-nas ainda mais em 2018, quando o governo liderado por Donald Trump saiu do acordo.

A economia iraniana deverá sofrer por isso uma contracção de 9,5% este ano, muito acima dos 6% previstos pelo FMI.

Além disso, a reintrodução das sanções motivou a depreciação da moeda, prejudicando o seu comércio internacional, e aumentou a taxa de inflação anual que se deverá situar nos 35,7% este ano e 31% no próximo.

O FMI prevê ainda que as exportações de bens e serviços recuem para 60,3 mil milhões este ano de 103,2 mil milhões em 2018, recuando ainda mais em 2020 para 55,5 mil milhões de dólares.

Ler Mais
Notícias relacionadas
Comentários
Loading...

Multipublicações

Marketeer
Sporting CP: partilhar é o maior presente de todos
Automonitor
Renault lamenta morte do pai dos Dacia Kwid, Sandero e Logan