Juros menos negativos marcam última emissão de dívida a curto prazo do ano

Dívida pública portuguesa mantém-se como refúgio para investidores institucionais.

Portugal pagou taxas menos negativas nos leilões de dívida pública realizado esta manhã, tendo colocado o montante pretendido de 1250 milhões de euros.

Em comunicado, a Agência de Gestão da Tesouraria e da Dívida Pública (IGCP), indica que realizou dois leilões, um da linha de Bilhetes do Tesouro (BT) com maturidade em Janeiro de 2020 (BT 17JAN2020), colocando 350 milhões de euros (fase competitiva) e outro da linha de BT com maturidade em Setembro de 2020 (BT 18SET2020), colocando 900 milhões de euros (fase competitiva)».

A taxa média ponderada nos 900 milhões de dívida colocada a 11 meses ascendeu a -0,45%, tendo a procura superado a oferta em 1,74 vezes. Nos 350 milhões de euros de BT colocados a três meses, os juros alcançaram os -0,475%, com a procura a superar a oferta em 3,66 vezes.

O último leilão comparável foi realizado a 21 de Agosto, onde foram colocados 250 milhões de euros com maturidade em Novembro deste ano à taxa de juro média de -0,563, e 750 milhões a vencer em Julho de 2020 à taxa de juro média de -0,557.

Nos BT a três meses, a procura superou em 4,36 vezes a oferta, enquanto nos BT a 11 meses a procura ascendeu aos 1535 milhões de euros, 2,04 vezes a oferta.

Notícias relacionadas
Comentários
Loading...

Multipublicações

Marketeer
Nova Kinda de Oeiras tem um corredor infinito e um Design Studio
Automonitor
Cepsa Black Week começa esta sexta-feira