Mais de metade dos bancos estão demasiado fracos para sobreviver a uma crise

Análise da consultora McKinsey indica que 60% dos bancos mundiais poderão não ser economicamente viáveis.

Mais de metade dos bancos mundiais estão demasiado enfraquecidos para sobreviver a uma desaceleração económica, de acordo com um inquérito publicado pela consultora McKinsey & Co.

Segundo a análise, 60% dos bancos poderão não ser economicamente viáveis porque as suas receitas operacionais são inferiores aos custos.

Para a consultora, os bancos precisam de tomar medidas como o desenvolvimento de tecnologia, o desenvolvimento de operações e o aumento de fusões antes de uma potencial desaceleração económica.

«Acreditamos que estamos no fim de um ciclo e os bancos precisam de avançar agora para movimentos arrojados porque não estão em grande forma. No final do ciclo, ninguém se pode dar ao luxo de dormir sobre os louros», afirmou Kausik Rajgopal, senior partner da McKinsey, à agência Bloomberg.

Os bancos, de acordo com a consultora, alocam apenas 35% dos seus orçamentos de tecnologias de informação à inovação, enquanto as fintech gastam mais de 70%. Isto, junto com os factores regulatórios que reduzem as barreiras à entrada das fintech no sector, tornam o ambiente cada vez mais propício para que estas novas empresas conquistem quota de mercado aos bancos incumbentes, acrescenta a Bloomberg.

Notícias relacionadas
Comentários
Loading...

Multipublicações

Marketeer
Sporting CP: partilhar é o maior presente de todos
Automonitor
Renault lamenta morte do pai dos Dacia Kwid, Sandero e Logan