Mais volatilidade, menos IPOs

Tensões geopolíticas e incertezas globais fazem recuar número de IPOs globais.

O número global de ofertas públicas iniciais (IPO) este ano recuou 25% face ao ano passado, com as empresas a recear as tensões entre os EUA e a China e o abrandamento do crescimento económico mundial. Na Europa, a quebra foi de 40%.

De acordo com dados da Dealogic, citados pelo ‘Financial Times’, 845 empresas avançaram para a Bolsa, o número mais baixo dos últimos três anos. Com estes IPOs, as empresas angariaram 116 mil milhões de dólares, menos 23% do que no mesmo período do ano passado, o valor mais baixo desde 2016.

O responsável da área de IPO para a Europa, Médio Oriente, Índia e África da consultora EY referiu ao jornal que, além dos receios do abrandamento do crescimento económico global e da guerra comercial entre os EUA e a China, o Brexit, os protestos em Hong Kong e as questões nucleares com o Irão também estão a pesar nas decisões das empresas de avançarem para o mercado de capitais.

«Em mais de duas décadas no Mercado de IPO nunca vi tantos factores de risco e incertezas», afirmou, acrescentando que «estas incertezas criam volatilidade como a que vimos no Verão e a volatilidade tem uma correlação negativa com a actividade de IPO».

Notícias relacionadas
Comentários
Loading...

Multipublicações

Marketeer
Sporting CP: partilhar é o maior presente de todos
Automonitor
Renault lamenta morte do pai dos Dacia Kwid, Sandero e Logan