Ministro da Economia alemão rejeita possibilidade de emitir “coronabonds”

O ministro da Economia alemão, Peter Altmeier, rejeitou a possibilidade de criar os chamados “coronabonds” para enfrentar as repercussões económicas do coronavírus na Europa.

“Estamos preparados para evitar ao máximo uma nova crise de dívida na Europa. Mas recomendo cautela quando surgirem conceitos supostamente legais que são o retorno de outras ideias que já foram descartadas no passado”, disse Peter Altmeier em entrevista ao o jornal económico alemão “Handelsblatt”.

Esta foi a reação de Altmeier às recentes discussões sobre a possível emissão desses títulos, que seriam títulos de dívida comum dos estados membros da União Europeia, sendo que a própria presidente da Comissão Europeia (CE), Ursula von der Leyen, mostrou, publicamente, abertura a esta possibilidade.

Também o presidente do governo espanhol, Pedro Sánchez, solicitou recentemente a emissão de ‘eurobonds’ e um “Plano Marshall” para lidar com a crise do coronavírus.

Economistas alemães também se manifestaram a favor da emissão de ‘eurobonds’ para impedir o coronavírus de países líderes como Itália, Espanha ou Grécia a uma nova crise da dívida.

Altmeier, por seu turno, prefere sublinhar que “a inovação é mais importante que os subsídios”. Durante a crise da dívida, o governo alemão opôs-se à ideia de criar ‘eurobonds’, títulos de dívida conjuntos, argumentando que isso levaria a uma mutualização de riscos e dívidas, o que, segundo Berlim, violaria a regra de que cada Estado assumir a responsabilidade por suas próprias obrigações.

 

Ler Mais
Notícias relacionadas
Comentários
Loading...

Multipublicações

Marketeer
Eventos digitais: tendências, vantagens e preocupações
Automonitor
Covid-19: SEAT doa 100 mil euros para projeto #YoMeCorono