Ródio: metal mais caro do mundo já subiu 30% desde o início do ano

O ródio, um dos três metais do grupo da platina, está a beneficiar da crescente procura por parte do setor automóvel, que usa cada vez mais estes metais nos catalisadores no âmbito das exigências de motores menos poluentes.

O ródio, um dos três metais do grupo da platina, está a beneficiar da crescente procura por parte do setor automóvel, que usa cada vez mais estes metais nos catalisadores no âmbito das exigências de motores menos poluentes. O metal precioso já subiu mais de 30% desde o início do ano, atingindo o valor mais alto desde 2008, informa Bloomberg.

Este metal, que lidera a lista dos metais mais caros do mundo, disparou 225% em um ano e o seu preço multiplicou-se por 12 nos últimos quatro, ultrapassando o das principais matérias-primas.

Contudo, «importa recordar que na crise de 2008 o preço do ródio excedeu os 10 mil dólares por onça, caindo oito anos depois para os 640 dólares. Na passada terça-feira, o ródio valia 7.925 dólares por onça, estando cerca de 300 dólares abaixo do máximo registado em janeiro.», tal como explica Diego Morín, analista da IG Markets, citado pelo elEconomista.

De acordo com a agência Bloomberg, a África do Sul é o maior produtor mundial de ródio, tendo produzido no ano passado mais 600 mil onças, enquanto que a Rússia, segundo maior produtor mundial, extraiu cerca de 69 mil. O restante da produção é realizada no Canadá, EUA e Zimbábue, contudo em quantidades muito menores.

O futuro do ródio não é muito promissor, uma vez que existe uma quantidade limitada de barras de ródio puro. Poucos investidores participam no negócio, porque não há transacções suficientes nos mercados, devido à escassez e utilização das empresas do sector automóvel.

Ler Mais
Notícias relacionadas
Comentários
Loading...

Multipublicações

Marketeer
Eventos digitais: tendências, vantagens e preocupações
Automonitor
Covid-19: SEAT doa 100 mil euros para projeto #YoMeCorono