Rússia investe 15 mil milhões para produzir metal mais caro do mundo

Joint-venture prevê produzir 120 toneladas anuais, com lucro de 3,7 mil milhões.

As empresas russas Nornickel e Russian Platinum vão investir 15 mil milhões de dólares na Artic Palladium, uma joint-venture na tundra Ártica, com a qual pretendem tornar-se nas maiores produtoras mundiais deste metal precioso.

O valor deste metal minerado na África do Sul e na Rússia, e cujo valor supera o do ouro e da platina, tem subido consistentemente ao longo dos últimos seis trimestres, de acordo com a agência ‘Bloomberg’, devido à procura crescente motivada por leis ambientais mais rigorosas e a uma oferta que não cresce.

A produção de paládio – utilizado, por exemplo, nos dispositivos de controlo de poluição dos automóveis (catalisadores), – estagnou na Rússia em Setembro, enquanto na África do Sul caiu para mínimos de 18 meses em Agosto, refere a agência.

«É um projecto muito bom», afirmou o presidente russo Vladimir Putin, durante um encontro com Musa Bazhaev, líder da metalúrgica Russian Platinum, citado pelo ‘The Moscow Times’.

As duas empresas estimam produzir 120 toneladas anuais de paládio nas duas unidades na Península de Taymyr, num período de produção que deverá durar 55 anos, e empregar um total de 5.860 pessoas, indica a publicação.

As receitas líquidas estão estimadas em 3,7 mil milhões de dólares anuais, o que significa que o break even será atingido ao fim de quatro anos.

Ler Mais
Notícias relacionadas
Comentários
Loading...

Multipublicações

Marketeer
Sporting CP: partilhar é o maior presente de todos
Automonitor
Renault lamenta morte do pai dos Dacia Kwid, Sandero e Logan