Saldo da dívida directa do Estado desce 0,1%

Pagamento antecipado do empréstimo do FEEF explica variação.

O saldo da dívida directa do Estado recuou 0,1% em Outubro face ao mês imediatamente anterior, fixando-se em 246.658 milhões de euros, de acordo com o boletim mensal do IGCP.

A variação do stock, refere a Agência de Gestão da Tesouraria e da Dívida Pública, «ficou a dever-se, essencialmente, ao pagamento antecipado do empréstimo do Fundo Europeu de Estabilização Financeira (FEEF), num montante de 2 mil milhões de euros».

Adicionalmente, e entre outras explicações para a variação do stock, verificou-se a amortização do BND NOK OUT2019, no montante de 86 milhões de euros e um aumento do saldo de Bilhetes do Tesouro, neste caso, «explicado pela realização de dois leilões, nos montantes de 350 milhões de euros, na linha a 3 meses a vencer em Janeiro de 2020, e 904 milhões de euros na linha a 11 meses, com vencimento em Setembro de 2020.

Notícias relacionadas
Comentários
Loading...

Multipublicações

Marketeer
Sporting CP: partilhar é o maior presente de todos
Automonitor
Renault lamenta morte do pai dos Dacia Kwid, Sandero e Logan