S&P500 tem a melhor semana em Wall Street desde 1974 apesar do desemprego

A Reserva Federal (Fed), que tem tomado medidas de apoio à economia desde o início da pandemia, anunciou hoje mais dois biliões (milhão de milhões) de dólares (1,8 biliões de euros), destinados em particular às empresas e às coletividades locais atingidas pela pandemia.

A bolsa nova-iorquina fechou em alta uma semana mais curta, com o S&P500 a conhecer a melhor semana desde 1974, graças ao acolhimento positivo, pelos investidores, das novas medidas da Reserva Federal para apoiar a economia norte-americana.

Os resultados definitivos da sessão indicam que o Dow Jones Industrial Average progrediu 1,22%, para os 23.719,37 pontos.

O tecnológico Nasdaq valorizou 0,77%, para as 8.153,58 unidades, e o alargado S&P500 subiu 1,45%, para as 2.789,82.

No conjunto da semana, o Dow Jones ganhou 11,3%, o Nasdaq 10,6% e o S&P500 conheceu mesmo a sua melhor semana desde 1974, com uma subida de 12,1%.

Contudo, vários analistas apelaram para a prudência, perante um mercado que continua frágil e submetido a movimentos vivos, tanto nas subidas, como nas descidas, em função das evoluções da pandemia do novo coronavírus.

“Não há qualquer razão para acreditar que a volatilidade vai dissipar-se”, avisou, por exemplo, J. J. Kinahan, da TD Ameritade.

“O sentimento dos investidores pode mudar de uma semana para outra”, realçou este operador.

A Reserva Federal (Fed), que tem tomado medidas de apoio à economia desde o início da pandemia, anunciou hoje mais dois biliões (milhão de milhões) de dólares (1,8 biliões de euros), destinados em particular às empresas e às coletividades locais atingidas pela pandemia.

Durante uma intervenção por videoconferência para a Brookings Institution, em Washington, o presidente da Fed, Jerome Powell, quis transmitir tranquilidade, afirmando que existiam possibilidades elevadas para que a recuperação económica nos EUA venha a ser sólida, apesar do choque da pandemia de covid-19.

As novas medidas da Fed tranquilizaram os investidores e limitaram o impacto da forte subida verificada no número de inscrições para o subsídio de desemprego nos EUA.

Na semana que hoje terminou, para este efeito, as inscrições para o subsídio de desemprego foram 6,6 milhões – depois de 3,3 milhões e 6,9 milhões nas semanas precedentes –, um número que continua a ser excecionalmente elevado pela terceira semana consecutiva.

“As medidas de relançamento económico anunciadas pela Fed pesaram mais (junto dos investidores) que o relatório sobre o desemprego”, resumiu Kinahan.

A praça de Wall Street vai estar fechada na sexta-feira e reabre na segunda-feira.

Ler Mais
Notícias relacionadas
Comentários
Loading...

Multipublicações

Marketeer
Directora de Marketing da TAP: «As companhias vão ajustar-se. Não tenho dúvidas»
Automonitor
VLV: O primeiro Peugeot elétrico que se estreou em… 1941